2008/02/21

No domingo passado (parte 2: o pós-desistência do passeio)...

[Continuação do anterior "episódio"]

Ora, ao ver grande parte do pessoal a ir efectivamente percorrer os 20Kms do passeio-manif, comecei a pensar: "É pá, eu até queria ir já com a malta, mas o Pedro ainda não chegou e eu até combinei com ele que esperava aqui! Caraças Pedro, só por tua causa é que não vou agora andar 20Kms à chuva, com roupa normal de "andar a pé" (já estou tão habituado a andar vestido "normalmente", ou seja, sem licras e aquelas cenas de ciclista em cima da Mobiky, que nem me lembrei de vestir qualquer coisa mais molhável para o passeio)."

Ora, uma vez que já desmobilizou toda a gente para o passeio-manif (tirando aqueles 3 que foram ali para uma prova de vinhos numa das arcadas laterais da praça), o que é que eu posso fazer enquanto que o Pedro não chega? Ah... o que é aquilo? Umas banquinhas com cenas a vender debaixo das arcadas... bute lá. Enquanto que passava os olhos por umas dessas lojas improvisadas, o Pedro acabou por chegar (molhado, com uma amolgadela no joelho e com algum frio) e, já que não íamos ao passeio, sugeriu irmos para um café qualquer ali perto, para comer uma torrada e beber qualquer coisa.

Assim fizemos. Meus amigos, se quiserem tomar qualquer coisa a um domingo de manhã, podem esquecer o Terreiro do Paço. Tivemos de subir a Rua Augusta e só quase no Rossio é que começámos a encontrar cafés abertos. Aqui nesta foto, íamos a meio da rua quando tive de atender um telefonema. Podem aproveitar e ver a diferença entre a minha linda Mobiky e a MTB do Pedro. A diferença das rodas é abismal, não é? Mas olhem que a Mobiky a fazer drifts na calçada molhada e lisinha não se fica atrás! :D

Lá chegámos então à esplanada coberta (sim, porque continuava a chover), pedimos a torrada e o galão, enquanto que as nossas montadas descansavam perto, como podem ver na foto ao lado. Uma coisa curiosa que aconteceu foi que os vários pedintes que nos abordaram a pedir uma esmola, todos eles nos falaram em inglês. Mas a outras pessoas que estavam perto de nós, falavam em português. Ora, como nem eu, nem o Pedro temos cara de estrangeiros, a minha conclusão é que na cabeça daquelas pessoas, qualquer pessoa que ande a passear na baixa, de bicicleta, num dia de chuva, não pode ser português.

Como o post já vai longo, deixem-me terminar dizendo que para regressar a casa decidi ir ver a estação de metro do Terreiro do Paço, onde apanhei o metro (parece óbvio que numa estação de metro só se consiga apanhar o metro, mas apeteceu-me meter algo redundante aqui) até à estação que liga com a do comboio do Rossio, onde ainda tive tempo para tirar uma última fotografia da Mobiky juntamente com uma velha locomotiva que estava lá em exposição.

Peço desculpa pelo tamanho dos posts, mas já não serão os primeiros a dizerem que sou muito chato a contar histórias. Join the club... or the line...

4 comentários:

Nuno Mendes disse...

Estou a ver, estou a ver... uns telefonemas, a Mo encostada a uns bancos de esplanada... hum!!! :D ;)

RedTuxer disse...

Parece que o post ainda foi mais longo que o passeio.... :)

José disse...

Pois... é um facto, tenho de aprender a ser mais resumido e sintético. Ser um rookie nisto dos blogs dá coisas destas. :)

RedTuxer disse...

Ou ao contrário, dar passeios mais longos, LOL...